POESIA

um poemeto...

Eu não queria que tivessem construções...

Casas e ruas pavimentadas eu não queria!
Eu queria que fosse tudo arvore
Queria que o mundo fosse mato!
Que só ficassem os museus e os teatros
As bibliotecas e as casas de chocolate!


........................................................................................................

Diante do Muro do Pink FLoyd...

Estou procurando uma poesia
Aquela mesma que esqueci...
Como era...
No dia a dia
No barulho de tudo querer cumprir
No corre-corre urbano 
da megalópole monstrengo...
Não escuto mais o meu som interno!
Estou buscando reencontrar aquele verso
que perdi...
que me liberte do que esqueci de ser
Que me de asas par ser raiz
Ser tudo que sou
e sair da infelicidade de ser gente
...
Quero a leveza do Deus de mim nascer 
De manhã
E na noite escura
Conhecer a face daquela nutridora primeva
Cheia de tetas gordas
Que me deu o leite sagrado
... E poder parar todo dia
para ver o sol se por...


.......


Relógio Budista




Lutamos desesperados contra o Destino

E somos infelizes o tempo todo

A nós mesmos nos caceteamos

Sem percebermos que somos nós 
O Destino!
Sem percebermos que apenas nele 
...nos realizaremos!
Seguindo suas algemas encontraremos
nossas asas!
Nós somos o Tempo!
O relógio budista nos ensina!
Por isto eu...
Quero não temer a felicidade
Quero não mais negar a divindade no homem
E parar de mentir que não sou Deus!
Não quero temer nunca mais!
e a liberdade de apenas não ter sentido algum
Colorido
Praticar a respiração do Universo!
Mesmo sendo tão pequenininho
Um grão...
Aqui no meu quintal chamado Terra!



*************************************************



Eu queria ver viver...


 

Um novo Da Vinci acontecer

Eu queria ver viver
Um novo Pessoa
Um novo Lennon
Um novo Gandhi
Uma nova Madre Tereza
Um novo Luther King!
Pra ver se este mundo tinha jeito
De algum modo... 
Novos Baianos!
Um novo Gil e um novo Caetano!
Um Novo Mario de Andrade,
Com novos Bandeiras, Tarsilas e todos... 
Modernistas, agora?
Sim! Pra já! Diretas Já!
Pós Vanguardistas! Pós eleicionistas! Novos também
Reinventados seres!
Chaplins! Oscaritos e Carmens!
Eu queria ver viver neste tempo 
Um novo Renascimento de dentro pra fora!
Agora! De fora pra dentro! O sol entrar na carne!
Um novo transloucado Luís XIV!
Um novo Clóvis Bornay...

Pois um novo Joãozinho Trinta eu já vejo... 
E este me dá esperanças de um novo sol!
...de Carnaval
28/04/2017


.....................................................




Da minha pele... E do amor


SEI...
É feito apenas de amor a minha loucura
E o meu sonho DOÍDO... 
                  /por ti!
E quem sabe o que é o peso do amor?
A "mueda" e a moenda do verso
e da paixão?...
NADA EM VÃO!
Este é meu valor! 
Meu quinhão duro!
Para dizer que é no vão
de todas estas emoções que me sufocavam
que eu consegui respirar. RESPIREI!
E melhor sem ti!...
Mas a comoção da minha pele pela tua
Ainda continua...

Poema de 19/02/13 postado no Versos de Fogo 
e reescrito hoje 23/09/16





...........................................................................................................................


'NOTAS SOBRE ELA...'




Bill Oliveira
Poeta
Mineiro, escolheu ser também carioca 
por paixão 
mas se tornou desde 2014
amante de Niterói
33 anos
Multimídia e Arteterapeuta
Poeta
Seus versos estão espalhados pela web 
e foram postados especialmente 
no blog de seu heterônimo  William Garibaldi,
o Versos de Fogo, durante os anos de 2010 a 2013.
Passou estes últimos três anos cantando escondido...
Mas preparando-se para publicar seu primeiro livro de poemas.
Abaixo segue alguns poemas avulsos deste poeta.
Texto de Hirian Hilst sobre mim, especialmente pra cá.




Quem pode julgar
o AMAR
de alguém?
Dizer certo ou errado...
Dizer alegre ou triste?
AMEI. Fiz bem ( 0 CULPA )
Se fiz mal a quem amei (?)
é dor do outro!
Não é minha!
'Ninguém AMA sozinho!'...



Eu tô florindo!
Se o mundo,
as pessoas,
as coisas ao redor
não está...
AZAR!
Serei única flor!
Maria-sem-vergonha
no portão!





Sou feito de estrada
Porque seu
Sou mais caminho que chegada...
Meu palco é móvel,
sou mambembe!

E chegou
o dia terrível!
VOCÊ me procura...
E não me acha!
Você jamais vai me alcançar! ( Você nunca me viu! )
Sempre foi assim...
Lembra?



..................................................................................................................................


Mais 3 Poemas de Bill Oliveira


I

Sou
Um verso que é carne
Um canto de tempestade
E luar
Isto que trago é semente

Que nunca vai deixar de brotar

II

Sou filho da CONTRACULTURA
Poeta,
um pierrô-arlequim-anjinho-barroco-de Minas...

III

Poeta
Quem ouviu o teu canto?
E a tua arte quem valorizou?
Quem deste mundo louco
Vibrou com um poema -significado
Mais do que com um gol-sem sentido?
Whats: Questões...



Comentários

...Muito prazer...

TOPS

Confraternização e certificação do Curso de Desenho de Carnaval

RAP do Nojo ou Rap dos Medíocres!

A Barca dos Refugiados

Sobre tolerância e aceitação