O rastro do vento...


Quando eu saí lá da minha terra mineira
De "Baependi da Serra do Careta"
Em busca de realizar os meus sonhos
E levando uma mala cheia de poesia...
Pensava que a única coisa que me separava
Da realização dos meus sonhos era a distância...
Que inocente eu era! Ora veja!
Não conhecia ainda a maldade humana,
Nas formas da vaidade, dos jogos de poder,
Da inveja e da falsidade!

ão sabia quão feio era o monstro mundo!
Certa vez uma cigana me falou ordenadora:
"Você não tenha medo de bicho feio não menino!
Você vai ver muito bicho feio nessa vida!
Você veio pra enfrentar bicho feio!..."
Hoje a caminhada segue
Tantas outras terras eu toquei
Tantos amores eu tive...

Quantos amigos de verdade eu conquistei...
Pouco dos meus sonhos eu realizei
mas diante dos amores e dos amigos
Valeu a pena caminhar tanto!
E olhando para meu rastro vejo
Que só fiz o bem

E meus atos falam por mim!
Se exagerei e sonhei e amei...
Enfim... 
Meus atos são sementes de bem
Depõem sempre a meu favor
E não tenho vergonha do que sou!
E me orgulho de mim! Sim, pois...
Sou sincero, e não tenho preconceito com nada

Vivo o meu coração aceso!
Propago belezas!
Em todas as suas formas que posso
"Sigo a estrela no meu chapéu"
Deixando um rastro de fogo eu sigo...
Semeando harmonias!


Bill Oliveira William 

Poema  29/08/2016
Reescrito hoje

Comentários

...Muito prazer...

TOPS

Reunião de Textos e Imagens do Heyoka, O Palhaço Sagrado

Indumentária Medieval

Curso de Desenho de Carnaval / Módulo 1 - Fantasia

Croquis de Figurino de O Rico e Lázaro

Tereza Aragão... A flor do samba jamais fenecerá!